Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

A formação de catequistas de Crisma

img

Ser catequista de crisma exige maturidade pessoal. Alguém imaturo, ou dando os primeiros passos na fé cristã, não é capaz de conduzir o outro no crescimento da fé e da vida. Sendo assim, a Coordenação da Catequese de Crisma precisa ter um carinho especial com os jovens que foram crismados e desejam ser catequistas de crisma. Eles necessitam de um acompanhamento, uma preparação especial e não podem assumir uma turma de jovens imediatamente.

O ideal é ter sempre uma pequena equipe de catequistas (no mínimo três) em cada grupo de crismandos. Aí sim, inserir os novos catequistas, os recém-crismados, nos grupos para experimentar o gosto bom de ser catequista. Um catequista mais experiente pode acompanhar os novos reunindo-se mensalmente com eles, depois de uma formação inicial, para verificar as alegrias, desafios, indagações que surgem na caminhada…

A Coordenação da catequese atenta à necessidade de novos catequistas de crisma precisa cuidar especialmente da formação inicial. Há temas comuns da formação, tanto para catequista de crianças como de adultos, mas aqui lembramos o que é especialmente importante na formação dos novos catequistas de crisma. Sugestão de conteúdos:

a)Características ou tendências das “juventudes” hoje.

b)O jovem e a experiência da fé (o amadurecimento da fé no jovem)

c)O objetivo e conteúdo da catequese de crisma

d)Metodologia da catequese da crisma

e)Os jovens, a catequese e as novas mídias…

Sendo assim, fica evidente que é um enorme equívoco “entregar” a catequese de crisma para um “movimento” da Igreja cuidar. A Catequese de crisma é responsabilidade da comunidade cristã, que precisa ter catequistas devidamente preparados para essa tarefa.

A Atualização constante

O catequista de crisma tem uma linda missão: ajudar o jovem a “redesenhar sua vida”, a assumir e acolher o projeto de Jesus e a viver “ligado” à comunidade cristã.

É fundamental a experiência de fazer parte de um grupo de catequistas, que está sempre em busca de atualização e de encontrar caminhos novos para a educação da fé dos jovens. Um bom Grupo de Catequistas é o melhor audiovisual da catequese.

A coordenação é a que cuida dos catequistas. Como cuidar? Procurar criar espaços e momentos para ouvir o grupo, para propor debates, conversas interessantes que ajudem a pensar diferentes e melhores caminhos para a catequese de Crisma. Mas, também ofertar espaços de silêncio, de retiros, de formação, de lazer. Além, é claro, de cuidar da amizade do grupo, de interessar-se pela vida e crescimento de cada um. O ideal é que a equipe de coordenação só faça isso, ou seja, não tenha grupos de crismandos; assim poderá acompanhar os catequistas de crisma em cada comunidade da paróquia.

Além das reuniões de catequistas para diversos encaminhamentos, é preciso prever a atualização do grupo. Evidentemente, há assuntos que sempre necessitam de aprofundamento. São eles:

– Jesus Cristo e seu projeto: o Reino de Deus

– A Igreja e os desafios atuais da evangelização

– Os Sacramentos (sobretudo os sacramentos da Iniciação Cristã)

– Moral do Amor e da Sexualidade

– Espiritualidade cristã

Há conteúdos que vão entrando na pauta de discussões do grupo de catequistas porque surgem nas dificuldades que experimentam:

– A catequese e a transmissão da fé

– Experiências significativas de catequese com adolescentes e jovens

– A catequese e a experiência da Beleza, da Alegria de viver…

– Novas mídias e a catequese da crisma…

A diocese e a Catequese nacional também indicam conteúdos importantes para atualização dos catequistas. O grupo precisa estar atendo a essas propostas.

Mais que tudo: é importante abrir o apetite do grupo de catequistas para a formação, leituras interessantes de livros, textos… criar grupos de estudos de temas afins. Assim, vamos caminhando e desenvolvendo um “outro olhar” para a educação da fé dos jovens e do grupo de catequistas.

Indicação de boas leituras:

– LIBÂNIO, João Batista e GUIMARÃES, Edward. Linguagens sobre Jesus. As linguagens das juventudes e da liberdação. Editora Paulus

– MENDONÇA, José Tolentido. Pai Nosso que estais na terra. Pai nosso aberto a crentes e não crentes. Edições Paulinas.

– LIBÂNIO, João Batista. Para onde vai a Juventude? Reflexões Pastorais. Editora Paulus.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *