Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Celebração do Dia Nacional do Catequista 2018

img

Em preparação para a 4ª Semana Brasileira de Catequese

Preparando o ambiente:

* Cadeiras em círculo.
* Um local de destaque para a Palavra de Deus.
* Pano branco de 1x1m a ser colocado no chão, no centro do círculo.
* Jarro transparente com água. No fundo do jarro prender uma longa fita de cetim azul, que será usada para traçar uma das linhas do espiral do símbolo visual.
* Jarro transparente com vinho. No fundo do jarro prender uma longa fita de cetim vermelho, que será usada para traçar uma das linhas do espiral do símbolo visual.
* Tacinhas para distribuir vinho aos participantes.
* Sete pegadas em papel e canetas.
* Folhetos para os participantes.

Faixas:

* 1ª SBC – “Fé e vida em Comunidade: Renovação da Igreja, Transformação da Sociedade”
* 2ª SBC – “Com Adultos, Catequese Adulta”
* 3ª SBC – “Iniciação à Vida Cristã”

4ª Semana Brasileira de Catequese a serviço da Iniciação à Vida Cristã
Nós ouvimos e sabemos que Ele é o Salvador do mundo” (Jo 4,42)

Equipe celebrativa:
Equipe de Canto.
Cinco Leitores.
Cinco ou mais catequistas para auxiliarem nas entradas.
—————————

ACOLHIDA

As equipes de coordenação da Equipe do Batismo e da Catequese acolhem com carinho os catequistas que estão chegando. O grupo de canto recebe os participantes com músicas de acolhida (Seja bem-vindo olelê…; Você que está chegando…; Seja bem-vindo, bem-vindo seja…)

Após a chegada de todos, o padre e os coordenadores expressam a alegria de se encontrarem para este tempo de oração e reflexão em celebração ao Dia do Catequista. Convidar todos a se acolherem, cumprimentando uns aos outros. Nas paróquias maiores, uma apresentação dos catequistas por comunidades pode ajudar a integrar os participantes.

MOTIVAÇÃO INICIAL

Dirigente: Irmãs e irmãos sejam bem-vindos! Com grande alegria celebramos mais uma vez o Dia Nacional do Catequista!

Desde o início dos anos 1980, o Igreja no Brasil dedica o mês de agosto à reflexão, promoção e celebração das vocações à vida sacerdotal, familiar, religiosa, missionária ou laical. Dentro das celebrações deste mês, o Dia Nacional do Catequista ocupa lugar especial, considerando o ser catequista acima de tudo como uma vocação, como um chamado de Deus.

Este ano, queremos fazer de nossa celebração uma preparação para a 4ª Semana Nacional de Catequese, que se dará no mês de novembro.

Celebrando a alegria de nossa vocação, cantemos.

Canto

1.Me chamaste para caminhar a vida contigo, decidi para sempre seguir-te não voltar atrás

Me puseste uma brasa no peito e uma flecha na alma. É difícil agora viver sem lembrar-me de Ti

TE AMAREI, SENHOR, TE AMAREI, SENHOR, EU SÓ ENCONTRO A PAZ E A ALEGRIA BEM PERTO DE TI (2X)

2. Eu pensei muitas vezes calar e não dar nem resposta, eu pensei na fuga esconder-me, ir longe de Ti

Mas Tua força venceu e afinal eu fiquei seduzido. É difícil agora viver sem saudades de Ti

3. Ó Jesus não me deixes jamais caminhar solitário, pois conheces a minha fraqueza e o meu coração

Vem, ensina-me a viver a vida na tua presença, no amor dos irmãos, na alegria, na paz, na união

FAZENDO MEMÓRIA

Dirigente: Em nosso país, já foram realizadas três Semanas Brasileiras de Catequese. Ao recordá-las, queremos reviver a caminhada da catequese, bem como recordar tantos e tantas catequistas que nos precederam nesta missão.

Leitor 1: A Primeira Semana Brasileira de Catequese aconteceu em 1986. Seu tema foi: “Fé e Vida em Comunidade: Renovação da Igreja, Transformação da Sociedade”. Transcorrida três anos após a publicação do documento Catequese Renovada – grande divisor de águas da Catequese no Brasil – sua preparação e realização se dá no contexto de um país que busca abraçar uma nova realidade com profundas transformações políticas e sociais. Fé e vida se entrelaçam, assim como no Evangelho de Jesus.

Ainda hoje este tema continua atual. No mundo de mudança em que vivemos, carente de esperança e de luz, a Catequese deve recordar por sua ação que a fé e a vida são dimensões inseparáveis para o seguidor de Jesus. Como comunidade, somos vocacionados a fazer acontecer a renovação da Igreja, que deve se colocar “em saída”, e na transformação da sociedade, que precisa ser mais justa, solidária e fraterna.

Todos: QUEREMOS SER CATEQUISTAS QUE CELEBRAM A FÉ E A VIDA, COLABORANDO COM A RENOVAÇÃO DA IGREJA E A TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE.

Canto

Catequista vai formar o meu povo a minha gente! (bis)

Enquanto se canta, entra a faixa da 1ª Semana que será colocada no centro do círculo.

Leitor 2: Quinze anos depois, em 2001, aconteceu a Segunda Semana Brasileira de Catequese. Seu enfoque foi a Catequese com Adultos, sendo o tema: “Com Adultos, Catequese Adulta” e o lema “Rumo à maturidade em Cristo” (cf. Ef 4,13). No alvorecer o Terceiro Milênio, a Catequese no Brasil percebe a necessidade de voltar o olhar para a prática das primeiras comunidades, que tinham nos adultos os seus principais interlocutores. A grande preocupação é deixar de lado uma catequese com adultos que era a reprodução das temáticas, e por vezes das metodologias, da catequese com crianças. Inicia-se assim a compreensão mais ampla de que o adulto deve ser olhado enquanto tal em seu processo de educação da fé.

São os adultos que ocupam os principais papeis nas instâncias decisórias da sociedade e são eles, em primeira instância, os educadores das novas gerações. Por isso é necessário que se volte a atenção para a educação da fé deste grupo. Precisamos hoje ouvir os apelos feitos pela 2ª Semana Brasileira de Catequese e tornar nossa catequese com adultos realmente uma catequese adulta, “rumo à maturidade em Cristo”.

Todos: QUEREMOS SER CATEQUISTAS DE UMA CATEQUESE MADURA, QUE RESPEITE A REALIDADE DE NOSSOS INTERLOCUTORES E QUE APONTE SEMPRE PARA UMA FÉ MADURA E FRUTIFICANTE.

Canto

Catequista vai formar o meu povo a minha gente! (bis)

Enquanto se canta, entra a faixa da 2ª Semana que será colocada no centro do círculo.

Leitor 3: A Terceira Semana Brasileira de Catequese deu-se no contexto do Ano Catequético Nacional de 2009. Este ano, cheio do espírito do Documento de Aparecida, tinha como tema “Catequese, caminho para o discipulado” e como lema os dizeres dos discípulos de Emaús “Nosso Coração arde quando Ele fala, explica as Escrituras e parte o pão” (Lc 24,32). Nesta mesma perspectiva, a Semana teve como tema “Iniciação à Vida Cristã”. Passa a ecoar de maneira mais intensa o apelo por fazer da catequese não apenas um momento isolado na vida das crianças, do adolescente, do jovem ou do adulto, mas um autêntico processo que leva à experiência do encontro pessoal com Jesus Cristo e, por Ele, a autêntica transformação da vida.

A estrada de Emaús se abre às nossas comunidades que precisam reconhecer este apelo da catequese, rompendo com as estruturas que a fazem se assemelhar mais à rigidez das estruturas escolares tradicionais do que à dinamicidade do Espírito que nos move a caminhar na estrada de Jesus.

Todos: QUEREMOS SER CATEQUISTAS A SERVIÇO DA PALAVRA, QUE SENTINDO O CORAÇÃO ARDER PÕEM-SE A CAMINHO ENCONTRANDO, SEGUINDO JESUS E CONVIDANDO OUTRAS PESSOAS A FAZEREM O MESMO.

Canto:

Catequista vai formar o meu povo a minha gente! (bis)

Enquanto se canta, entra a faixa da 3ª Semana que será colocada no centro do círculo.

Leitor 4: Mais uma vez a Catequese do Brasil ouve o apelo do Senhor que sempre convida e se propõe a continuar a reflexão sobre a Iniciação à Vida Cristã. Caminhamos para a Quarta Semana Brasileira de Catequese que tem como tema: “4ª Semana Brasileira de Catequese a serviço da Iniciação à Vida Cristã” e como lema: “Nós ouvimos e sabemos que Ele é o Salvador do mundo” (Jo 4,42). Ao olharmos para o tema, encontramos a missão da catequese: ser servidora, colocar-se ao lado das demais ações pastorais da Igreja para colaborar com a Iniciação à Vida Cristã.

Em sintonia com este grande encontro da Catequese do Brasil, fazemos de seu objetivo geral, o nosso objetivo:

Todos: QUEREMOS “COMPREENDER A CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL A SERVIÇO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ, BUSCANDO NOVOS CAMINHOS PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ, NO CONTEXTO ATUAL”.

Canto

Catequista vai formar o meu povo a minha gente! (bis)

Enquanto se canta, entram as faixas da 4ª Semana que será colocada no centro do círculo.

PALAVRA DE DEUS

Dirigente: É da Palavra de Deus que brota o lema da 4ª Semana Brasileira de Catequese. O encontro entre Jesus e a samaritana muda completamente a vida daquela mulher. Uma mudança tão grande e para melhor, algo que enche o coração da samaritana e faz dela uma missionária do amor de Deus.

Como aquela mulher que se colocou à beira do poço, aproximemo-nos da fonte que é a Palavra para ouvirmos o que o Senhor nos quer falar.

Canto

Escuta, Israel! O senhor, teu Deus, quer falar! (bis) Fala, Senhor, meu Deus! Israel quer te escutar! (bis)

Um leitor proclama o texto bíblico.

Texto bíblico: Jo 4,39-42

Tempo de silêncio para a interiorização da Palavra.

Seguindo os passos da Leitura Orante da Palavra, o dirigente conduz a reflexão do texto bíblico.

O que o texto diz?
O que o Senhor nos diz pela sua Palavra?
O que falamos ao Senhor motivados pela Palavra?
Que conversão provoca em nós a Palavra? Que ações somos motivados a realizar?

MOMENTO ORANTE

Dirigente: O lema bíblico da 4ª Semana inspirou seu símbolo visual. A linguagem simbólica toca o ser humano. Estamos cercados por símbolos em nosso cotidiano. Os sinais e placas de trânsito, as logomarcas dos produtos, as ilustrações de um livro infantil são imagens que querem nos indicar outras realidades. Também objetos e elementos da natureza pretendem traduzir à nossa compreensão realidade que são invisíveis a nós.

Leitor 1: Toda a ação da Igreja tem origem no próprio Cristo. É Ele o Deus feito homem para nos aproximar mais de Deus. Ao centro do símbolo visual da 4ª Semana Brasileira de Catequese está a Cruz de Cristo. “A cruz refere-se à morte de Jesus e também à sua ressurreição. A cruz é símbolo do estilo de vida que Cristo ensinou e que agora, somos convidados a assumir, do caminho pascal, de morte e ressurreição, que Cristo percorreu e que agora somos chamados a percorrer: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16,24). É com o sinal da cruz que os catecúmenos são acolhidos na iniciação cristã.

Do lado esquerdo um pequeno traço nos lembra o lado transpassado de Cristo: “Pendente da cruz, do seu coração aberto pela lança fez correr sangue e água” (RICA 215).”

Enquanto a cruz é entronizada em nossa celebração, tracemos sobre nós este sinal sagrado, assumindo o compromisso de fazer de Cristo o centro de nossas vidas.

Um catequista traz a cruz. Em seguida, a coloca no centro do tecido branco.

Canto

NOSSA GLÓRIA É A CRUZ/ ONDE NOS SALVOU JESUS. (2x)

1- Nós devemos gloriar-nos/ Nesta cruz de salvação/ Traz-nos vida e liberdade/ E os dá ressurreição.

2- Foi preciso ao Senhor/ Para entrar na sua glória/ Ser na cruz crucificado/ É caminho da vitória.

3- E quem quer viver unida/ Sua vida à Jesus/ Não terá outro caminho/ Pela cruz se chega à luz.

Leitor 2: Do lado aberto de Cristo jorram sangue e água. A água simboliza segundo a Tradição da Igreja, o sacramento do Batismo. “O lado aberto de Cristo morto na cruz evoca a nossa imersão batismal na paixão e morte do Senhor. Do seio de Jesus elevado e glorificado no mistério da morte e ressurreição, flui a água viva, símbolo do dom do Espírito Santo. O Batismo confere aos fiéis o dom do Espírito Santo e os tornam portadores e templos do Espírito”.

Todas as vocações emanam do sacramento do Batismo. Com a nossa vocação de catequistas não é diferente. Nas águas batismais recebemos a missão de ser no mundo sal e luz.

Ao sermos aspergidos, peçamos ao Senhor a graça de sermos fieis à nossa vocação.

Um catequista traz o jarro com água aspergindo a todos. Em seguida, a coloca no centro do tecido branco, ao lado da cruz e com a fita traça o espiral como no símbolo.

Canto

Banhados em Cristo, somos uma nova criatura. As coisas antigas já se passaram, somos nascidos de novo. ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA! (BIS)

Leitor 3: O sangue jorrado do coração aberto de Cristo é ara nós imagem do sacramento da Eucaristia. É a Eucaristia o ponto mais alto da vida cristã. Ao se fazer refeição, Jesus nos chama a atenção para a necessidade da partilha, da doação. Ele nos dá seu Corpo e Sangue e nos convida a também doarmos aos outros o que temos e somos. Na cultura judaica, o vinho é símbolo da festa, da alegria. A celebração dos sacramentos é sempre festa. Festa de Cristo, festa de irmãos.

O catequista nutre sua vocação na mesa da Palavra e da Eucaristia. Imbuído pelo Espírito do Senhor é chamado a também se doar a serviço da Iniciação à Vida Cristã.

Saboreando o vinho, façamos memória das alegras que temos em nossa missão de catequistas.

Um catequista traz o jarro com vinho e outro traz as tacinhas, distribuindo-os aos participantes. Em seguida, coloca a jarra no centro do tecido branco, ao lado da cruz e com a fita traça o espiral como no símbolo.

Canto

Bendito e louvado seja o Pai, nosso Criador, / O vinho que recebemos é prova do seu amor.

O vinho que recebemos, é prova do seu amor, / É o fruto de sua terra, do povo trabalhador

É o fruto de sua terra, do povo trabalhador / Na missa é transformado no Sangue do Salvador.

Bendito seja Deus! Bendito o seu amor! / Bendito seja Deus, Pai Onipotente, nosso Criador! (bis)

Leitor 4: “O espiral que se forma nas cores vermelha e azul, símbolo do sangue e da água, remete-nos a caminhada que iniciamos todos nós, a partir da fé em Jesus Cristo e da sua Igreja, que nasceu do seu lado aberto, assim como nova Eva do lado do novo Adão. É símbolo da caminhada dos catequizandos, catecúmenos, eleitos, neófitos… de todo Cristão. O espiral em sentido anti-horário, representando o Kairós de Deus, “o tempo oportuno”, pelo qual somos regidos, amadurecemos e crescemos, ano após ano, de domingo a domingo, de páscoa em páscoa, até a páscoa definitiva. As pegadas aí impressas mostram que a nossa fé não é circular, mas espiral, como no ano litúrgico. A cada ano concluído, não paramos no mesmo lugar, amadurecemos no seguimento, não somos mais os mesmos, subimos um degrau.”

A vocação do catequista é indicar o caminho. Qual João Batista, exortar a todos a prepararem o caminho. Mas também somos caminheiros, seguindo sempre a Cristo, Senhor e Mestre, Caminho, Verdade e Vida.

Cada um de nós escreverá seu nome em uma das pegadas como registro de sua disposição em seguir Jesus.

O dirigente distribui as sete pegadas entre os catequistas para que escrevam. Ao final as pegadas são colocadas no caminho, completando o símbolo da 4ª SBC.

Canto

1.Vem e Eu mostrarei que o Meu caminho te leva ao Pai / Guiarei os passos teus e junto a ti hei de seguir

Sim, eu irei e saberei como chegar ao fim / De onde vim pra onde vou, por onde irá, irei também

2.Vem, Eu ti direi o que ainda estás a procurar / A verdade é como o sol que invadirá teu coração

Sim, eu irei e aprenderei minha razão de ser / Eu creio em Ti, que crês em mim e à Tua luz verei a luz

3.Vem, e Eu ti farei da Minha vida participar / Viverás em Mim aqui: viver em Mim é o bem maior

Sim, eu irei e viverei a vida inteira assim / Eternidade é na verdade, o amor vivendo sempre em nós

4.Vem, que a terra espera quem possa e queira realizar / Com amor, a construção de um mundo novo muito melhor

Sim, eu irei e levarei Teu nome aos meus irmãos /Iremos nós e o Teu amor vai construir em fim a paz

O dirigente motiva espontaneamente os catequistas a contemplarem o símbolo que foi montado ao centro e expressar, em espírito orante, através de uma palavra o que este símbolo nos comunica em relação à nossa vocação de catequistas.

Dirigente: Rezemos, em dois coros, a oração da 4ª Semana Brasileira de Catequese.

Senhor Jesus, nosso Salvador e amigo.

Tuas palavras soam e ressoam aos ouvidos de muitos discípulos teus.

Muito mais, és Tu a Palavra que nos pronuncia o amor de Deus.

A tua voz queremos ouvir, ao teu chamado acolher, ao teu mandato obedecer.

Outrora chamaste os discípulos; hoje chamas a nós.

Outrora ensinaste as multidões; hoje pedes que te apresentemos a quem precisa de ti.

Nas margens do lago tiveste compaixão; hoje pedes que nos compadeçamos.

Desde a montanha enviaste teus discípulos; também hoje queres que façamos discípulos teus.

Senhor, são justamente estes os motivos e os anseios da nossa Semana de Catequese.

Que teu Espírito nos infunda a paz e a força de perceber tua presença.

Que Ele nos conceda a Alegria do Evangelho que queremos acolher, que queremos partilhar, que queremos transmitir.

Vem participar, Senhor, da nossa 4ª Semana Brasileira de Catequese.

Vem nos falar, vem nos inspirar, vem em socorro à nossa fé.

Tudo isso a ti pedimos porque temos um grande sonho:

Que nossa Catequese, e nossos catequistas aproximem de ti todos a quem nos enviaste.

Pai nosso…

Dirigente: Bendigamos ao Senhor!

Todos: Demos graças a Deus!

O dirigente motiva todos a se saudarem pelo dia do catequista e os convida para um momento de confraternização.

(Sugestão de Celebração encaminhada pelo coordenador diocesano de Catequese da Diocese da Campanha-MG: Pedro Henrique Mendonça)

Via Catequese Hoje

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *