Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Especial Nossa Senhora de Guadalupe

Especial Nossa Senhora de Guadalupe

Nossa Senhora de Guadalupe apareceu ao índio Juan Diego e a ele confiou ensinamentos importantíssimos, não somente para as Américas, da qual ela é padroeira, mas para todo o mundo. Em 9 de dezembro de 1531, nos arredores da colina Tepeyac, que fica na atual Cidade do México, aconteceu a primeira aparição de Nossa Senhora naquelas terras.

ensinamentos-de-nossa-senhora-de-guadalupe-2A aparição da Virgem Maria no México teve um significado histórico impressionante na evangelização dos nativos. Naquele tempo, numerosas etnias habitavam o vale de Anahuac, atual Cidade do México, durante décadas, sob a tirania dos astecas, tribo poderosa, que praticava habitualmente sangrentos ritos idolátricos. Todos os anos, os astecas sacrificavam milhares de pessoas para, conforme sua crença, manter aceso o “fogo do sol”. Além de fazer sacrifícios humanos, os astecas praticavam a antropofagia1, a poligamia2 e o incesto3, que faziam parte da cultura desses povos.

Missionários espanhóis tentaram mudar os costumes dos nativos, mas sem sucesso. O que dificultava a missão dos religiosos era a dificuldade de comunicação, pois não compreendiam os vários dialetos, os maus hábitos, extremamente enraizados na cultura dos nativos, e a relutância destes em deixar a idolatria e aceitar o Deus verdadeiro4.

Nesse difícil contexto histórico, cultural e religioso, as aparições de Nossa Senhora a Juan Diego e os milagres que se seguiram, especialmente a imagem que milagrosamente ficou estampada na tilma5, deram à obra dos missionários católicos naquelas terras a eficácia necessária para a evangelização. A imagem de Nossa Senhora de Guadalupe teve grande importância na conversão dos povos pagãos do México devido aos vários símbolos nela contidos, que os nativos souberam interpretar e consequentemente compreender a mensagem de Deus nela contida. A partir das aparições de Nossa Senhora, a conversão daqueles pagãos para o Cristianismo se realizou prodigiosamente.

Nossa Senhora de Guadalupe e a proteção das famílias

Depois de quase 500 anos, não somente o México, mas a humanidade como um todo vive um neopaganismo6 e necessita novamente do auxílio da Virgem de Guadalupe. No tempo dos astecas, a poligamia e o incesto eram práticas normais. Hoje em dia, torna-se cada vez mais comum o divórcio, o adultério, a prostituição, a pedofilia, os “casamentos” entre homossexuais, “casamentos alternativos” e tantos outros tipos de relações sexuais suscitados pela ideologia de gênero e outras ideologias. Diante desses terríveis males do nosso tempo, devemos defender a família na sua natureza e missão genuínas e incentivar uma educação que prepare retamente as pessoas para a vida e as torne conscientes das suas capacidades, para que enfrentem digna e responsavelmente a sua vocação na sociedade7.

Em contraste com esse quadro desolador, o olhar da imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, que tem ao centro uma família, traz-nos uma mensagem de esperança. Segundo o cientista José Aste Tonsmann, que há mais de 34 anos investiga as imagens encontradas nos olhos da Virgem de Guadalupe, essas nos apresentam “uma mensagem de Nossa Senhora a favor da vida e da família em um momento em que ambos são duramente atacados em todo mundo”8. Homem de fé, Dr. Tonsmann acredita que não foi por coincidência que só com a atual tecnologia possamos “decifrar” esta mensagem oculta nos olhos da imagem da Senhora de Guadalupe. Pela Providência divina, “o avanço da tecnologia coincidiu com uma época em que a família é denegrida em todo mundo, por isso, podemos afirmar que a Virgem quis que em nosso tempo a família seja posta em relevo”9.

Outra mensagem de Nossa Senhora de Guadalupe para nosso tempo é que, ao aparecer grávida na imagem, ela nos chama à atenção para a necessidade de respeitarmos a vida nascente. José Aste acredita ainda que a mensagem mais importante – escondida nos olhos da imagem de La Morenita, como é conhecida Nossa Senhora de Guadalupe pelos mexicanos – é que apesar de ter outras seis imagens10, no centro do olhar de Maria se encontre uma família: “É como se a Virgem nos assinalasse a importância da família em um tempo em que esta sofre constantes ataques”11, pois a família é necessária para a perpetuação das culturas e da sociedade, mas também para a realização da vocação última do homem, que é a união definitiva com seu Criador. O próprio Verbo de Deus quis vir ao mundo na Sagrada Família de Nazaré, no lar de Maria e José, como que para mostrar à Igreja e ao mundo a dignidade e o lugar da família na obra da salvação da humanidade.

A Virgem de Guadalupe e a defesa da vida

Naquele tempo, todos os anos os astecas faziam milhares de sacrifícios humanos, de homens, mulheres e até crianças, de pessoas da sua própria tribo ou de outras etnias. Em nossos dias, vemos um retorno aos costumes pagãos, pois se torna cada vez mais comum a prática do aborto, do controle de natalidade, da eutanásia. Essa cultura da morte faz parte do terrível ataque que a “civilização” contemporânea faz à família humana em nossos dias. A esse respeito, o Papa Bento XVI nos ensina que devemos ser “defensores da vida humana desde a sua concepção até ao seu ocaso natural”12.

Nesta árdua missão de defender a vida, como outrora, hoje também nos deparamos com dificuldades de comunicação. Todavia, o problema não é mais tanto o idioma, mas o desconhecimento da verdade. A ditadura do relativismo, que é a negação de verdades objetivas, em última análise é uma negação da fé, da moral e dos dogmas cristãos. Este pensamento está sendo imposto cada vez mais na sociedade, principalmente no meio acadêmico. Dessa forma, surge um novo paganismo, no qual, em nome da deusa “razão”, em muitos países, pessoas têm o “direito” de abortar uma gravidez, de tirar uma vida.

Neste momento trágico da história da humanidade, somos convidados a voltar nosso olhar para a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe. Na imagem da Virgem Maria, a faixa preta atada no seu ventre, símbolo asteca da gestação maternal, revela-nos uma mensagem dos Céus a favor da vida. O Cardeal Marc Ouellet afirmou que a aparição da Virgem de Guadalupe como uma mulher grávida é um testemunho poderoso a favor da vida e contra o aborto. A imagem “recorda-nos que a Palavra de Deus se fez carne no ventre de uma mulher e Ele nos leva à redenção, à renovação das relações, à misericórdia com o mundo e também à abertura à vida e à esperança”13. Na imagem de Guadalupe, a Virgem Maria traz em seu ventre Jesus Cristo, “a Verdade e a Vida”14, que tanto necessitamos em nossos dias.

As aparições de Senhora e o poder das trevas

Na mesma região das aparições de Nossa Senhora de Guadalupe, um evento sem precedentes foi realizado na cidade de San Luís Potosí, região central do México. Um grupo de bispos e padres realizou um “exorcismo magno”, também chamado de “grande exorcismo”, sobre todo o México. O rito foi realizado no dia 20 de maio do ano passado, na catedral metropolitana da cidade. “O exorcismo foi realizado para conter o avanço do aborto e da violência ligada ao tráfico de drogas, e também para frear práticas como o satanismo e o culto pagão à ‘santa morte’, as quais [… explica Padre José Antonio Fortea] ‘provocaram uma grande infestação satânica em todo o México’”15. Diante desses fatos, vemos que estamos realmente diante de um verdadeiro retorno ao antigo paganismo.

Esse neopaganismo torna-se ainda mais grave e impiedoso que o anterior, porque, no seu “altar” sacrificam-se milhares e milhares de vidas inocentes, ainda no ventre de suas mães. A esse respeito, em exorcismos feitos na Itália pelo Padre Pellegrino Ernetti, o demônio diz pela boca de um possesso: “Foi a minha descoberta mais bela e saborosa! Matar os inocentes em vez dos culpados e homicidas da máfia! Destruo a humanidade e assim termino, antes do nascimento, com os adoradores do vosso falso Deus”16. O inimigo diz claramente que o aborto tem como finalidade destruir a humanidade e os cristãos.

Quanto às drogas, as palavras do demônio são surpreendentes: “É o alimento mais saboroso que dou de comer aos jovens para enlouquecerem. Desta forma, faço com que se tornem aquilo que quero: ladrões, assassinos, impudico [pessoas sem pudor], ferozes como eu, dominadores do mundo, meus ministros”17. As palavras do demônio são ainda mais surpreendentes em relação ao divórcio, à separação de casais: “Foi invenção minha. Reivindico a sua propriedade. É uma das minhas descobertas mais inteligentes. Desta forma, destruo a família e a sociedade, onde sou adorado como verdadeiro rei do mundo. O sexo… o sexo. Não deis ouvidos àquele homem [Jesus] pendurado da cruz que não vos dá nada. O verdadeiro prazer somente eu vos dou com o sexo livre. O meu reino é sobretudo a liberdade do prazer sexual, com o qual reino sobre a terra”18.

Depois de ler estas palavras com algumas das estratégias demoníacas a respeito do aborto, das drogas e das famílias, não é difícil descobrir quais são as causas de tantos males no México e em todo o mundo.

A reparação das ofensas contra a Virgem Maria

Portanto, quando em que um país aumenta desmedidamente o pecado, o aborto, o divórcio, o sexo livre, as drogas e tantos outros males, na mesma medida cresce a ação tentadora dos demônios. “Na medida em que em uma nação se realizem mais atos de bruxaria e mais satanismo, nessa mesma medida acontecerão mais fatos extraordinários provindos desses poderes das trevas”19. A gravidade da situação no México, que levou à necessidade do “exorcismo magno”, e também no mundo todo, são reveladas em um fato acontecido no Vaticano. Em 2013, Papa Francisco impôs as mãos sobre um peregrino mexicano chamado Ángel. Um dia depois, o exorcista Padre Gabriele Amorth conversou com o rapaz e depois afirmou não ter dúvidas de que ele estava possuído. Segundo o Padre Amorth, Ángel “foi eleito pelo Senhor para mandar uma mensagem ao clero mexicano e dizer aos bispos que têm que fazer um ato de reparação pela horrenda lei do aborto aprovada na cidade do México em 2007 e que supõe um ultraje à Virgem”20.

Por todo o mundo, vemos a crescente impiedade dos homens e a ação dos demônios têm desencadeado uma onda de ódio, violência e maldade por toda a Terra. Entretanto, as contínuas aparições da Virgem Maria, como aconteceu no México, são poderosos auxílios divinos em nossa luta contra os poderes das trevas. Por isso, satanás abomina as aparições marianas, como poderemos constatar nas suas palavras em um exorcismo: “O maior mal deste tempo, para mim, são as contínuas presenças [aparições] desta meretriz [Nossa Senhora]. Aparece em todo o mundo, em todas as nações e persegue-me, arrancando das minhas mãos tantas almas, milhares e milhares, para ouvirem as suas falsas mensagens”21.

Se satanás odeia a Virgem Maria e diz que a sua presença é o maior mal deste tempo para ele, ao contrário, devemos amar profundamente a Mãe de Deus e reconhecer, nas suas aparições, o maior bem do nosso tempo. Por isso, nas festas marianas, mas também em nosso cotidiano, devemos prestar a Virgem Maria a nossa mais sincera homenagem, de modo especial pela sua presença amorosa como Mãe das Américas. Em honra da Virgem Maria, façamos atos de reparação pelos terríveis males do nosso tempo, principalmente a degradação das famílias, o aborto, as drogas, a violência e o satanismo. Nossa Senhora de Guadalupe, rogai por nós!

Referências:

1. Comiam carne humana.
2. Casavam-se com mais de uma mulher.
3. Mantinham relações sexuais e/ou maritais com pessoas da família e parentes próximos.
4. Cf. ARAUTOS DO EVANGELHO. Nossa Senhora de Guadalupe.
5. Poncho típico dos índios mexicanos.
6. O neopaganismo pode ser também chamado de retorno ao paganismo.
7. PAPA BENTO XVI. Homilia de 12 de Dezembro de 2011. http://w2.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/homilies/2011/documents/hf_ben-xvi_hom_20111212_america-latina.html
8. ACI DIGITAL. Os olhos da Virgem de Guadalupe oferecem ao mundo uma mensagem a favor da família, destaca perito.
9. Idem, ibidem.
10. Cf. Idem, ibidem. Estas imagens são: um indígena sentado; um ancião que, baseado nas representações de Miguel Cabreras, pintor do século XVIII, trataria-se do bispo Juan de Zumárraga; um homem jovem que se trataria de Juan González, tradutor do bispo; o santo mexicano São Juan Diego Cuauhtlatoatzin; uma mulher negra que teria embarcado com o bispo na Espanha para servi-lo no México e a quem o prelado concedeu a liberdade antes de seu falecimento, e um homem barbado com facções europeias.
11. Idem, ibidem. A família que aparece no centro dos olhos da imagem de Guadalupe é um grupo de pessoas composto por uma moça que se destaca por estar ao centro do grupo e parece olhar para baixo, e que o perito acredita ser a mãe desta família. Junto a ela está um homem com chapéu e entre ambos, um casal de crianças. Outro par de figuras representando um homem e mulher maduros (provavelmente os avós desta família, segundo o Dr. Tonsmann) encontram-se de pé, atrás dos demais.
12. PAPA BENTO XVI. Op. cit.
13. ACI DIGITAL. Virgem de Guadalupe oferece poderosa mensagem contra o aborto.
14. Jo 14, 6.
15. PADRE PAULO RICARDO. Bispos e sacerdotes realizam “exorcismo magno” no México.
16. PELLEGRINO ERNETTI. Estratégias de Satanás, p. 21.
17. Idem, ibidem.
18. Idem, p. 20.
19. PADRE PAULO RICARDO. Bispos e sacerdotes realizam “exorcismo magno” no México.
20. Idem, ibidem.

Por Natalino Ueda, via Canção Nova

(De 04 a 12 de dezembro)

ORAÇÃO PARA TODOS OS DIAS (memorare)

Lembre-se Ó bondosa Virgem de Guadalupe, que em vossa celestial aparição no monte de Tepeyec, prometestes mostrar vossa compaixão e piedade a todos que amam e creem em vós, procurando vosso auxílio e vos chamando em suas necessidades e aflições. Vós prometestes ouvir com atenção as nossas súplicas, enxugar nossas lágrimas e nos dar consolo e alívio. Nunca se soube que quem buscasse vossa proteção e implorasse vosso socorro ou procurasse vossa intercessão, mesmo nos pedidos de prosperidade, ou ansiedades pessoais, não fosse por vós atendidos. Inspirada por esta confiança venho até vós ó doce e sempre Virgem Maria, Mãe do Deus Verdadeiro!

Sofrendo sob o peso dos nossos pecados, nós vimos nos prostrar diante de vossa augusta presença, certos de que vós ireis realizar vossas misericordiosas promessas. Nós estamos cheios de esperança, que sob vosso manto e proteção nada nos será problema ou aflição, nem temeremos as doenças e infortúnios, ou qualquer outro pesar. Vós quisestes permanecer conosco através da vossa admirável imagem, pois sois nossa Mãe, nossa saúde e nossa vida. Colocando-nos sob o vosso maternal olhar e recorrendo a vós em todas as nossas necessidades, não precisamos de mais nada. Ó Santa Mãe de Deus, não despreze nossos pedidos, mas por vossa misericórdia, ouvi-nos e respondei-nos. Amém.

Após a leitura de cada dia:

(Rezar 4 Ave-Marias, Comemorando as 4 aparições de N. Sra. A Juan Diego e o Memorare).

PRIMEIRO DIA

As palavras de N. Sra. de Guadalupe ditas ao Índio S. Juan Diego na colina de Tepeyec a 09 de dezembro de 1531: “Meu querido filho a quem amo ternamente, saiba que eu sou a Virgem Maria, Mãe do Deus Verdadeiro. É Ele quem dá e mantém a vida, Criador de todas as coisas Senhor do céu e da terra, que está em todos os lugares. Eu desejo um templo a ser erguido aqui, onde possa manifestar a compaixão que tenho pelos nativos e por TODOS que solicitarem meu auxílio “.

Estas vossas palavras, minha Mãe celestial, enchem meu coração de amor e gratidão com renovada fé, porque elas foram direcionadas à mim também. Por isso eu venho a vos, confiante de obter a vossa intercessão, a graça que me tornará capaz de viver de acordo com os ensinamentos do vosso Divino Filho, Jesus, a quem desejo amar de todo coração. Vós compartilhastes com todo o sofrimento do meu Salvador por mim, portanto, eu também vos pertenço, e vós sois minha amada Mãe. Não me abandone neste vale de lágrimas; tende piedade, eu vos procuro na minha pobreza e necessidade; tenha compaixão das minhas ansiedades e inquietações; assista-me nas minhas enfermidades e misérias.

SEGUNDO DIA

As misericordiosas palavras ditas na quarta e última visita a Juan Diego: “Não deixe nada afligir você, e não tenha medo das doenças, acidentes ou dores. Não estou aqui eu que sou sua Mãe? você não está sob meu manto e proteção? você necessita de mais alguma coisa?

Essas vossas palavras foram também dirigidas a mim e elas enchem meu coração de alegria e esperança. Volva então, vossos olhos misericordiosos a mim; aperfeiçoa meu amor a vós. Por este amor, que seja possível eu colocar aos vossos pés, todos os meus problemas e preocupações, sabendo que vós ireis se lembrar porque sois minha Mãe, que sob vosso manto e proteção, obtereis para mim a consolação que tanto necessito.

TERCEIRO DIA

Quando visitastes, Juan Bernardino, o tio moribundo de Juan Diego, curando-o e dizendo o vosso nome: “Imaculada Virgem Maria que esmagou a cabeça da serpente”, vós enchestes os corações dos Índios Nativos de alegria. Dissestes que eles não precisariam mais fazer sacrifícios humanos aos ídolos pagãos.

Salve Rainha Mãe de misericórdia. Nossa vida, nossa doçura e nossa esperança! Permita-me juntar-me com cânticos e louvores à esta nação, onde muitos vieram de longe, a ofertar ao vosso trono, presentes e preces neste dia. Rogai por nós Santa Mãe de Deus, eliminando a serpente do mal de nossas vidas, que possamos ser dignos das promessas de Cristo vosso Divino Filho.

QUARTO DIA

Quando os índios viram a admirável imagem dela deixada no poncho de Juan Diego, eles reconheceram que aquela pintura impressa continha uma mensagem celestial dirigida a eles. Sua régea figura na forma de uma mulher, ensinou-lhes que a sua moradia naquele momento era necessária que fosse na terra. Os raios de sol, as nuvens rodeando seu corpo, as estrelas sobre seu

manto, a lua crescente sob seus pés, os anjos que a transportam pelo espaço, tudo denota que sua atual permanência é no céu e chama a atenção deles para a imortalidade da alma humana. Ó Santa Maria, como a vossa imagem no poncho de Juan Diego ensinou aos índios, ensina-me também nunca esquecer da imortalidade da minha alma, que o céu é meu objetivo e minha herança. No meio das tentações e das misérias desta vida, deixa-me sempre pensar nesta morada de paz, de glória e eterna felicidade.

QUINTO DIA

Por séculos os nativos do México adoraram o sol como deus, sacrificando inúmeros seres humanos em sua honra. Mas quando eles contemplaram a bela imagem onde somente os raios eram bem visíveis, eles entenderam a lição a que estavam sendo conduzidos. Depois dos índios terem ouvido a vossa mensagem e lido o que a vossa imagem contém, eles abandonaram seus falsos deuses e abraçaram a amada doutrina do vosso Divino Filho.

Nunca eles cessaram de agradecer pela grande misericórdia que o Deus Todo Poderoso lhes mostrou quando Ele vos enviou a eles para ser sua Rainha, sua Mãe e sua mestra.

Oh Santa Maria, pelo mistério da Encarnação do vosso amado Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, onde nossa salvação começou, conceda-nos luz para entender a grandeza do benefício por Ele a nós concedido tornando-se nosso irmão e nos dando a vossa venerável mãe, para ser também a nossa mãe.

SEXTO DIA

O fogo que ardeu nos altares dos falsos deuses, se extinguiu para sempre depois que os índios contemplaram vossa imagem e viram vosso manto como o firmamento coberto de estrelas. Isto lhes mostrou que as estrelas foram cridas pelo Deus Invisível para servir a humanidade e, portanto não poderiam ser por eles divinizadas, adoradas e dadas em sacrifício.

Santíssima Virgem Maria, que através da imagem estampada no poncho do Índio, trouxe milhões de pagãos à luz da verdadeira fé; eu peço a Vós obter-me a graça do entendimento que esta mensagem contém. Derrama sobre mim a luz do vosso semblante; dirija e santifica meus empreendimentos.

SÉTIMO DIA

O emblema de nossa redenção estampado sobre o broche dourado preso sobre vossa túnica serviu para dizer aos índios que a religião que eles haviam abraçando era a mesma que a dos seus conquistadores; a cruz sobre a bandeira de Hernando Cortez e a do broche eram as mesmas. Quando eles a viram sobre a imagem, se juntaram ao redor do missionário espanhol ansiosos para saber seu significado. Eles lhes contaram como o Salvador veio do céu para redimir a raça humana através da sua morte na cruz e como a Virgem Mãe da Divina Vítima associou a ele no mistério da nossa redenção.

Feliz a nação a quem Ele se revelou a si mesmo e a Deus. Santa Virgem Maria de Guadalupe, minha rainha e mãe, mais de 400 anos se passaram desde que falastes com S. Juan Diego, e até agora um pequeno número de seus filhos em outras terras ficaram cientes do propósito da vossa imagem sobre o altar do vosso santuário. Inspira-nos então a ver nesta miraculosa pintura, o instrumento para a conversão de TODOS à Fé Católica e Apostólica, vós que sois a adorável Rainha e Mãe dos Apóstolos e Missionários.

OITAVO DIA

Depois que S. Juan Diego cortou as flores que brotaram repentinamente na desoladora colina de Tepeyec, ele as trouxe a Vós, no pé da montanha onde o aguardavas. Com vossas próprias mãos, vós as colocastes no poncho dele, atando-o no seu pescoço, dizendo-lhe que as levasse ao bispo Zumarraga, que este sinal o induziria a iniciar a construção do tempo. As últimas palavras que ele ouviu dos vossos adoráveis lábios foram: “você é meu embaixador digno de confiança, vá em paz[FA1].”

A sagrada pintura sobre aquele poncho de qualidade inferior não poderia ter sido pintado por mãos humanas. Ela convenceu o bispo como convenceu a todas as pessoas que a viram, que a mensagem de Juan Diego era verdadeira. Humildemente eu vos imploro, minha Rainha e Mãe, deixa-me ser vossa embaixatriz como Juan Diego, a divulgar a doutrina contida na vossa imagem, a todos meus amigos e convence-los também, acreditem eles ou não.

NONO DIA

Oh Santa Virgem, entronizada no coração de uma nação de idólatras, vós fizestes um maravilhosos trabalho de conversão.

Depois de verem a vossa imagem sobre o poncho de Juan Diego, os índios tiraram de seus templos, todos os ídolos, construíram belas igrejas em cujas torres as cruzes brilhavam à luz do sol, e os enormes tambores que em inúmeras vezes anunciaram sacrifícios humanos em honra aos seus deuses, não se ouviu nunca mais.

Como nos remanescentes 17 anos de sua vida, Juan Diego divulgou a mensagem aos índios, permita-me minha amada Mãe, ajudar a humanidade a conhecer vossa celestial mensagem entre os meus conterrâneos. Anima e abençoa a todos os que se juntarem neste Apostolado e Novena, a fim de propagar a religião Católica entre seus amigos, tendo como bandeira vossa admirável imagem sobre a tilma (poncho) de Juan Diego, junto com a cruz, emblema de nossa redenção. Eu imploro vossa ajuda especial em obter a graça de ………………….(mencionar).

Por Prof. Felipe Aquino, via Canção Nova

“Ó Virgem Imaculada, Mãe do verdadeiro Deus e Mãe da Igreja! Vós, que deste lugar manifestais a vossa clemência e a vossa compaixão por todos os que imploram o vosso amparo, ouvi a oração que com filial confiança vos dirigimos e apresentai-a ao vosso Filho Jesus, único Redentor nosso.

Mãe de misericórdia, Mestra do sacrifício escondido e silencioso, a vós, que vindes ao encontro de nós todos, pecadores, consagramos, neste dia, todo o nosso ser e todo o nosso amor. Consagramo-vos também a nossa vida, os nossos trabalhos, as nossas alegrias, as nossas doenças e os nossos sofrimentos.

Dai a paz, a justiça e a prosperidade aos nossos povos, já que tudo o que nós temos e o que somos o deixamos ao vosso cuidado, Mãe e Senhora nossa. Queremos ser totalmente vossos e convosco desejamos percorrer o caminho de uma fidelidade plena a Jesus Cristo na sua Igreja: não nos deixeis desprender da vossa mão amorosa.

Virgem de Guadalupe, Mãe das Américas, pedimo-Vos por todos os Bispos, a fim de que eles conduzam os fiéis por veredas de intensa vida cristã, de amor e humilde serviço a Deus e às almas.

Contemplai essa seara imensa e intercedei para que o Senhor infunda fome de santidade em todo o povo de Deus, e conceda abundantes vocações de sacerdotes e religiosos fortes na fé e zelosos dispensadores dos mistérios de Deus.

Concedei aos nossos lares a graça de amarem e respeitarem a vida nascente, com o mesmo amor com que vós em vosso seio concebestes a vida do Filho de Deus.

Virgem Santa Maria, Mãe do Amor Formoso, protegei as nossas famílias, para que elas estejam sempre muito unidas, e abençoai a educação dos nossos filhos. Esperança nossa, olhai-nos com compaixão, ensinai-nos a ir continuamente para Jesus e, se cairmos, ajudai-nos a levantarmo-nos e a voltarmos para Ele, mediante a confissão das nossas culpas e dos nossos pecados no sacramento da penitência que traz sossego à alma.

Suplicamo-vos que nos concedais um amor muito grande a todos os santos sacramentos, que são como marcas que o vosso Filho nos deixou na terra.

Assim, nossa Mãe Santíssima, com a paz de Deus na consciência, com os nossos corações livres do mal e de ódios, poderemos levar a todos a alegria a paz verdadeiras, as quais vêm do Vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, que, com Deus Pai e com o Espírito Santo, vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém”1.

Referências:

1. PAPA JOÃO PAULO II. Oração do Santo Padre à Nossa Senhora de Guadalupe. http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/speeches/1979/january/documents/hf_jp-ii_spe_19790125_preghiera-guadalupe.html

Por Natalino Ueda, via Canção Nova

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *