Ser humano algum consegue sobreviver sem alimentar-se. Jesus sabia disso! Pelo mesmo motivo quis estar presente em nosso meio na forma de comida: pão e vinho.

Assim como na vida terrena, em nossa caminhada espiritual necessitamos nos alimentar. Não apenas da Palavra, como querem alguns irmãos, mas sobretudo do próprio Corpo do Senhor Ressuscitado.

Como voce não consegue observar as proteínas de um alimento terreno revitalizando suas células, também não consegue observar materialmente a graça refazendo sua alma. Mas ela está ali, silenciosa, porém operante. Na Eucaristia, Deus nos renova a identidade divina, a vocação à santidade.

Quando dizemos que a Sagrada Eucaristia é o maior dos sacramentos, afirmamos algo evidente.

O Batismo é sem dúvida, o sacramento mais necessário; sem ele, não podemos ir para o céu. No entanto, apesar das maravilhas que o Batismo e os outros sacramentos produzem na alma, não são senão instrumentos de que Deus se serve para nos dar a sua graça, mas na Sagrada Eucaristia não temos apenas um instrumento que nos comunica as graças divína, é nos dada o próprio autor da graça. Jesus Cristo, real e verdadeiramente presente. “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida em mim e Eu nele”.

Sabemos que cada Sacramento produz o seu efeito ou efeitos próprios.

O Batismo nos dá a Graça Santificante.

A Confirmação fortalece a nossa fé tornando-nos adultos espiritualmente.

A Sagrada Eucaristia é um sacramento cujo fim especial é aumentar a Graça Santificante, repetida e frequentemente por meio da união pessoal com o próprio Autor da Graça.

O sacramento da Sagrada Eucaristia foi instituído como alimento espiritual. Visto a Eucaristia ser um alimento espiritual, é de se supor que ela cause os mesmos efeitos de um alimento material em relação ao corpo. E assim é: nutre, faz crescer, restaura as forças, deleita-nos.

O primeiro é o mais importante dos efeitos do alimento material é tornar-se uma só coisa com quem o come; transforma-se na substância da pessoa que o ingere e torna-se parte dela.

Na Sagrada Eucaristia passa-se espiritualmente algo de parecido, mas com uma grande diferença é o individuo que se une ao alimento. A comunhão do corpo e do sangue de Cristo faz com que nos transformemos naquilo que recebemos. Sempre que duas coisas se unem, de modo que uma delas se deve transformar num todo, então aquilo que é mais forte transforma em si o mais fraco.

São João Crisóstomo comenta: “Nós somos aquele mesmo corpo.”
Afinal, o que é pão? É o corpo de Cristo. E o que acontece com aqueles que comungam? Tornam-se corpo de Cristo; não muitos corpos, mas um só corpo.

A Eucaristia é um alimento. E como alimento é tomado diariamente e visa conservar e intensificar a vida.

São Tomas de Aquino diz: “Este sacramento é dado sob a forma de comida e de bebida. Por isso, todo efeito que produzido pela comida e pela bebida material quanto a vida corporal, tudo isso é operado por este sacramento com relação à vida espiritual.”

E mais: “Assim como o alimento corporal é necessário para a vida, de modo que sem ele não se pode viver, da mesma forma o alimento espiritual é necessário para a vida espiritual, de tal modo que sem este a vida espiritual não pode ser mantida.”

A Lumen Gentium diz que a comunhão do corpo e do sangue de Cristo faz com que nos transformemos naquilo que recebemos.

Efeitos: Ao unirmos a Cristo, unimo-nos também a todos os que estão em Cristo, ao outros membros do seu Corpo Místico. A união com Cristo é o laço de caridade que nos faz uma só coisa com o próximo. Devemos medir a eficácia das nossas comunhões pela melhora do nosso modo de ser e agir.

Curiosidade: Corpus Christi é dia santo, dia de celebração do Corpo de Cristo. É costume nesse dia, enfeitar-se as ruas de algumas cidades, em honra do Rei Divino que passará na forma de Pão Eucarístico Além de uma prova de carinho, é uma demonstração pública de fé.

Figuras da Eucarístía no Antigo e no Novo Testamento

Ceia Pascal: A pedido de Deus, o povo de Israel deveria repetir a cada ano como lembrança ou memorial da libertação do jugo dos egípcios. (Lev 23, 4 – 14)

O Maná: Deus alimentou o povo hebreu durante 40 anos no deserto com o maná. (Ex 16, 4 – 36)

As duas multiplicações dos pães: Mt 14, 13 – 21 e Mt 15, 29 – 39

Promessa da Eucarístia por Jesus Cristo: Jo 6, 35 – 51

Milagre Eucarístico de Lanciano: Há aproximadamente treze séculos, um padre que duvidava que a hóstia consagrada é verdadeiramente o Corpo de Cristo, enquanto recitava a fórmula de consagração da eucaristia durante a missa, a hóstia milagrosamente converteu-se em carne e o vinho converteu-se em sangue.

Leave a Comment