Na sua Exortação sobre o Evangelho, Paulo VI declara que a evangelização de todos os povos constitui “a missão essencial da Igreja”. É a sua razão de ser mais profunda.

As pessoas do mundo inteiro têm os ouvidos cheios de teorias sobre a liberdade, de promessas sobre tudo o que lhes trará a libertação… Eles sentem agora a necessidade de ouvir falar de Jesus Cristo e de ver com os seus próprios olhos comunidades onde jovens e velhos, ricos e pobres vivem juntos de uma nova maneira, por causa d’Ele. Sim, eles necessitam de ver pessoas não tendo “senão um coração e uma alma”, amando-se, cuidando mutuamente uns dos outros.

A Bíblia e os documentos da Igreja repetem-nos bastantes vezes que a Igreja se supõe como sendo uma Comunidade. Infelizmente, a maior parte das vezes isso está no papel, mas não corresponde à realidade.

No Renovamento, o Espírito de Santidade realiza em milhares de pessoas, nas comunidades de vida, aquilo que concretiza a própria natureza da Igreja. Como o Renovamento se torna cada vez mais uma comunidade de pessoas dedicadas ao serviço do Senhor e ao serviço dos outros, a evangelização vai crescer com um poder e uma força muito acima de tudo aquilo que possamos imaginar.

Ralph Martin
Extraído de uma entrevista concedida a Pierre Goursat, publ. in Pneuma nº 4-5

Leave a Comment