Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Missão da Igreja e Catequese

img

AIgreja (Ekklesía), no sentido cristão, existe em função da missão que recebeu de Jesus Cristo. Mas qual é o sentido original do termo Missão? Aqui é decisiva a influência do latim e do grego. Missão, do termo latino MISSIO, o substantivo “missão” provém do verbo latino MITTERE, que significa “enviar”. Requer a ação de pelo menos duas pessoas: uma que envia e a outra que é enviada. Pode significar enviar um objeto (um presente, uma mensagem). Mas o que nos interessa aqui é o envio de alguém por um outro alguém, para uma tarefa a ser realizada em nome de quem enviou. São Paulo diz que, na fé, quem é enviado é um “ministro de Jesus”, pois quem envia é o próprio Senhor Jesus. E alguém que é enviado por Ele, realiza um Serviço em nome dele, como se Jesus, pessoalmente, o realizasse.

Recordemos, a partir do significado de Ekklesia, que Jesus reúne seu povo na fé e lhe dá as suas orientações por meio da Palavra e o alimenta com o seu próprio corpo e sangue. Com seu povo de eleitos (Klétoi), ele presta o culto verdadeiro e definitivo ao Pai: “Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós Deus Pai todo poderoso…”. E a este povo ele confia uma missão (Missio): “Ide, fazei discípulos…; Batizai-os…; Ensinai tudo o que vos ensinei…”. É o anunciar a Boa Nova, a Boa Notícia. É o fazer discípulos… Aos poucos, Jesus e, depois, a Igreja, vão complementando o conteúdo da missão: vocação, dons, ministérios, funções, serviços vários, engajamento em nome da fé na luta por um mundo justo, solidário e fraterno…

O Novo Testamento nos revela que a missão, primeira e principal da Igreja, é EVANGELIZAR. Em grego, o verbo euangelizesthai, significa anunciar a boa notícia. Quem faz o anúncio de uma boa notícia é euangelos, isto é, mensageiro. E “evangelho” vem de euangelion (eu= boa, bom; angelia: notícia, comunicado). E a boa, a maior e mais importante notícia do mundo é que “Deus é nosso Pai-Mãe, nos ama, nos dá seu Filho único, Jesus Cristo, para a nossa salvação e nos confia a tarefa de, com seu Filho, estender, neste mundo, o seu Reinado de amor. Na verdade, em Jesus Cristo está todo o sentido de Evangelizar. Ele é a Boa Notícia, a encarnação do Reino de Deus, na expressão grega `Basileía tou Theou’”.

Evangelizar é tarefa do EUANGELOS, o mensageiro, ou do KERUX, o anunciador, o arauto. Mas, com um sentido cristão quanto a quem envia e quanto ao conteúdo do anúncio, à dinâmica de como anunciar e à vivência do anunciador. Evangelizar, foi se enriquecendo ao longo do Novo Testamento, passando a incluir três grandes realidades: a) PROPOR com entusiasmo (“èn-thèos”, cheio de Deus) e com dinamismo (“dynamis”, com a força do Espírito Santo); b) a JESUS CRISTO (pessoa, mensagem e missão), a Boa Nova do Pai; c) visando a CONVERSÃO (a “metanoia” – mudança radical de vida), isto é, adesão pessoal, livre e plena a Jesus Cristo (de modo consciente, esclarecido, generoso e coerente).

A conversão envolve o todo da pessoa, especialmente, o AFETO (as pulsões do amar, do ter e do ser livre); o CONHECIMENTO (experiência, razão e inteligência) e o COMPORTAMENTO (vontade, atitudes, ações), impulsionando-a a caminhar rumo à maturidade da fé. Se a catequese é parte essencial da missão da Igreja, o/a Catequista é por excelência, evangelizador, o comunicador, o arauto, o ministro de Jesus Cristo. Esta afirmação requer posterior explicação quanto ao sentido de Catequese e quanto à Missão específica do(a) Catequista, na Igreja e no mundo.

Por Irmão Nery, fsc (via Catequese do Brasil)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *