Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Que tal um encontro diferente com Bolo Catequético?

Que tal um encontro diferente com Bolo Catequético?

Objetivo: trabalhar o tema da vida em comunidade e os benefícios que ela traz para a vida cristã.

O encontro deve ser realizado em local que tenha um forno, que pode ser um forno a gaz ou elétrico, mas não muito pequeno, pois será preciso assar um bolo.

Inicia-se conforme o costume do grupo. Como o tema do encontro será “Viver em Comunidade”, pode-se escolher um dos textos de Atos dos Apóstolos que mostra como deve ser a vida em comunidade: At 2, 42-47; At 4, 32-35.

O catequista deve iniciar a dinâmica do encontro perguntando aos catequizandos quais são as dificuldades que eles encontram para conviver, em primeiro lugar na família (primeira comunidade), depois na escola e no grupo de catequese.

Depois, apontar essa convivência como uma vida em comunidade, que nem sempre é fácil, pois as pessoas são diferentes e assim serão sempre, pois Deus as fez diferentes umas das outras.

Convidá-los, então, para fazer um bolo de chocolate (você pode usar uma receita que já conhece) mas que tenha recheio e cobertura.

Colocar todos os ingredientes – já separados na quantidade necessária – sobre uma mesa, diante deles. Mas cada ingrediente deve ter uma pequena porção separada em outras vasilhas, pois os catequizandos deverão provar cada ingrediente antes que sejam colocados na massa do bolo.

Assim, seguindo a receita, o catequista começa a preparar o bolo. Uma sugestão, caso o grupo não seja de crianças muito pequenas, é que cada um acrescente um ingrediente no bolo, seguindo a receita, e o catequista vá batendo a massa. Assim, será feito da seguinte forma:

O catequista deve pegar a tigela onde o bolo será batido e chamar um dos catequizandos para colocar o primeiro ingrediente, mas antes de colocar esse ingrediente, ele deverá provar e dizer aos outros qual é o sabor que tem e se é gostoso ou não. Depois de saborear esse ingrediente ele o coloca na tigela. E assim sucessivamente, cada um vai experimentando um ingrediente e colocando na tigela.

Obs: Se o número de ingredientes for menor que o número de catequizandos, pode-se chamar um catequizando para cada porção de ingredientes. Por exemplo: na receita há 3 xícaras de açúcar, quatro ovos (divididos em claras e gemas), três xícaras de farinha etc; então cada catequizando colocará apenas uma porção de cada um desses ingredientes, de modo que serão necessários 3 catequizandos para colocar o açúcar (uma xícara cada um), oito catequizandos para colocar os ovos (um para cada gema e um para cada clara), um para cada xícara de farinha etc. O importante é que todos os catequizandos participem do processo e provem algum dos ingredientes dizendo aos outros qual é o sabor.

Caprichar na confecção do bolo para que ele fique bem gostoso.

Depois que a massa ficar pronta, levar para assar. Enquanto a massa estiver assando, preparar o recheio e a cobertura, fazendo da mesma forma que a massa, isto é, com a participação de todos e também com a provação dos ingredientes.

A cobertura deve ser feita com ingredientes saborosos e saudáveis, evitando coberturas muito gordurosas ou com ingredientes artificiais.

Durante esse processo, o catequista deve informar qual é a função de cada ingrediente na massa, no recheio e na cobertura. Você encontra o texto com essas funções clicando AQUI.

Quando o bolo estiver assado, enquanto a massa esfria para ser recheada, o catequista convida os catequizandos a ouvirem o texto bíblico escolhido e refletirem sobre ele, usando a fórmula de Leitura Orante:

  1. Ouvir a leitura que é feita de forma pausada e bem pronunciada pelo catequista.
  2. Cada catequizando deve repetir algum versículo que mais tocou o próprio coração (de forma livre).
  3. Os catequizandos devem falar sobre o que o texto diz.
  4. Depois eles devem falar sobre o que Deus diz no texto.

O catequista pode ajudar por meio de questionamentos que ajudem na compreensão do texto, mas não deve colocar o seu entendimento, deixando que façam a própria interpretação.

Depois pergunte se todos os que seguiram Jesus eram pessoas iguais, se todos eram “perfeitos”, isto é sem limitações ou defeitos de comportamento.

Depois desse tempo, o bolo já está pronto para ser recheado e coberto, convide os catequizandos a ajudar nessa etapa.

Em seguida sirva o bolo e deixe que apreciem. Pergunte se estão gostando e qual é o sabor. Pergunte se estão sentindo o gosto dos ingredientes como sentiram quando experimentaram cada um.

A partir das respostas, mostre que separadamente os ingredientes tinham um sabor, nem sempre agradável, mas juntos eles se transformaram em um bolo saboroso. Cada um deles foi importante para tornar o bolo muito gostoso.

Fale sobre o recheio, como elemento essencial para tornar o bolo bem melhor. Mostre que o “recheio” da comunidade, que transforma as pessoas, é o amor, a solidariedade.

E por fim, fale sobre a cobertura, a parte mais gostosa do bolo, que quando feita com os ingredientes ideais, além de gostosa é muito saudável. Compare essa cobertura à proteção divina cujos ingredientes são a misericórdia de Deus, o amor de Jesus e a orientação do Espírito Santo. Na comunidade é essa cobertura que mantém todos unidos e protegidos.

Conclua o encontro mostrando aos catequizandos que a vida em comunidade é necessária não para mudar as pessoas, mas para fazer com que cada uma possa contribuir do seu jeito para tornar a comunidade um sinal do Reino de Deus na terra, assim como as primeiras comunidades cristãs.

Essa dinâmica, de minha autoria, poderá ser utilizada em um Encontro de Catequese, ou em um encontro com pais, ou em um encontro com catequistas, sendo um excelente meio de levar à reflexão sobre o tema COMUNIDADE, de forma lúdica.

Por Universo Vozes

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *