Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Trastornos da atenção das crianças

Algumas crianças apresentam transtornos na atenção que geralmente são acompanhados de hiperatividade embora esta nem sempre se manifeste.

As crianças com transtorno da atenção têm problemas para controlar seu comportamento e seu rendimento escolar pode ser baixo, o que representa um desafio para seus pais, professores, pediatras e para eles mesmos.

O que é o Transtorno da atenção com hiperatividade? O Transtorno da atenção com hiperatividade (TAH) é um problema vinculado ao comportamento, que caracteriza às crianças como impulsivas, muito ativas e inquietas e com muito pouca ou nula capacidade para manter a atenção, ao que se conhece também como crianças com atenção dispersa, sua inteligência na maioria dos casos é normal ou superior à média, em ocasiões seu aprendizado é alterado, sem que necessariamente isto seja um transtorno do mesmo.

Vê-se com maior freqüência nos meninos que nas meninas e os afeta principalmente na idade pré-escolar, eles sabem que seu comportamento é de uma criança muito travessa e que é difícil de controlar-se, conduta que os pais devem entender para oferecer todo o apoio e oportunidades para seu desenvolvimento.

Em algumas ocasiões pode-se confundir com a atitude que manifesta a criança para chamar a atenção dos pais, entretanto esta é temporal e geralmente se associa a uma mudança na dinâmica familiar.

Como sei se meu filho tem transtornos da atenção com hiperatividade? As manifestações do TAH geralmente iniciam aos três anos e é necessário descartar antes de mais nada outros problemas médicos emocionais.

As crianças com TAH têm problemas para prestar atenção, são travessos e geralmente muito ativos, alguns não prestam atenção e são impulsivos mas não hiperativos, todos as crianças agem alguma vez desta maneira mas com TAH o fazem a maior parte do tempo. Mesmo quando podem mostrar sinais de TAH desde muito cedo, esta é identificada quando começa a ir à escola, ao confrontar-se com as estruturas e regras de conduta.

Não existe um só exame para diagnosticar TAH, requer-se uma história completa da saúde da criança, de seu comportamento em casa e na escola, informação dos professores e um exame médico cuidadoso. No seguinte quadro são elencadas as principais manifestações de TAH; se observa várias destas em teu filho por seis meses ou mais, deve consultar o pediatra. O TAH pode ser difícil de identificar e pode levar algum tempo antes de se fazer o diagnóstico.

Crianças de 3 a 5 Anos de Idade

*Estão constantemente em movimento

*É difícil que permaneçam sentado enquanto comem

*Brincam por espaços curtos de tempo

*Passam rapidamente de uma atividade a outra

*Têm dificuldade para responder uma simples ordem

*Brincam de forma desordenada e mais escandalosamente que outras crianças

*Não param de falar e constantemente interrompem aos demais

*Têm problemas para dividir e esperar

*Tomam as coisas dos demais sem pedir permissão

*Se “comportam mal” freqüentemente

*Têm problemas para conservar amigos

*Os professores os etiquetam como “difíceis de lidar” ou com “problemas de comportamento.

Crianças de 6 a 12 Anos

* Freqüentemente realizam atividades perigosas sem considerar as conseqüências

*São muito inquietos, sobem e descem sem descanso nas cadeiras e constantemente se levantam na sala de aula

*Distraem-se com muita facilidade e não terminam o que lhes é pedido

*Têm problemas para seguir instruções

*Brincam de forma agressiva

*Falam no momento impróprio e respondem abruptamente às perguntas que lhes são feitas

*Têm dificuldade para esperar sua vez em jogos ou em atividades de grupo

*São desorganizados e constantemente perdem as coisas, são “descuidados” tanto na escola como em casa

*Têm um desempenho inconsistente na escola

*São socialmente imaturos, com poucos amigos

*Os professores os identificam como “faltos de motivação” “preguiçosos”, “que dormem de dia” ou “com problemas de comportamento”.

Como se lida com o Transtorno da Atenção com Hiperatividade (TAH)?

O tratamento precoce ajuda à criança a crescer felizmente, mesmo com este transtorno, seu comportamento atípico de agora o ajudaria mais tarde a ter êxito. Muitas crianças com TAH escolhem carreiras que se adaptem a seu comportamento. A ajuda e o apoio que hoje receberem de seus pais, professores e pediatras será fundamental.

O comportamento das crianças com TAH pode criar tensão nos pais e na família: sem tratamento continuará afetando a toda a família; você pode ajudá-lo estabelecendo horários diários para levantar-se, comer, tomar banho, ir à escola e dormir, seja consistente com ele; no possível evite colocá-lo em situações que possa superestimulá-lo. As crianças com TAH principalmente chama a atenção de seus pais quando faz algo errado, é importante recompensá-los com palavras amáveis, abraços e presentes ocasionais frente a um comportamento positivo, este tipo de reforço e o amor de seus pais, família e amigos ajudará a teu filho a sentir-se bem consigo mesmo.

Nunca são recomendáveis os castigos físicos, como palmadas, bofetadas ou tapas, em lugar disto é mais afetivo usar técnicas de disciplina, trate de ignorar seu comportamento e ambos continuem com alguma atividade, dê tempo à criança para que se tranqüilize, fale com ele sobre seu comportamento e assegure-se de que entenda as conseqüências do mesmo.

* Terapia de jogo. Pode ajudar a teu filho quando manifesta medo ou ansiedade.

* Exercícios físicos especiais. Geralmente tratam de melhorar a coordenação e aumentam a habilidade de controlar atividades que possam superestimulá-los, são efetivos na medida em que os pais prestem atenção na criança e aumenta assim sua auto-estima.

* Dietas especiais. Baseia-se na idéia de que certos alimentos causam o transtorno, estas dietas encaminham-se para grupos específicos de alimentos como aditivos, açúcar e comidas como milho, nozes, chocolate, peixes ou cereais.

Existem evidências científicas de que estas dietas funcionam; são saudáveis e não causam danos, podem ser empregadas mas lembre-se de que não vão resolver os problemas.

* Só se sabe na atualidade que algum embutidos podem desencadear neles esta conduta.

Deve estar seguro de que o tratamento é necessário e evitar as terapias de megavitamina, vitaminas especiais e suplementos minerais, fale com o pediatra antes de qualquer terapia sem medicamentos.

Os medicamentos que melhoram sua atenção são muito úteis em seu tratamento; pode ser estranho dar estimulantes às crianças com hiperatividade, mas surpreendentemente chegam a ser mais quietos e mais atentos.

O medicamento que mais se usa para as crianças em idade escolar é o Ritalin (hidrocloruro de metilfenidato), outros são Dexedrina (dextroanfetamina), tricíclicos e clonidina. Se bem estes medicamentos não são aditivos, podem ter efeitos colaterais como dor de cabeça, perda de sono e apetite e depressões; devem ser utilizados unicamente sob a vigilância do pediatra, neurologista e psiquiatra.

Não deve de ser a única medida que a ser tomada.. Como ajudar às crianças com TAH na escola?

A estrutura e as regras de conduta nas salas de aula geralmente são difíceis de aceitar, também se aborrecem e freqüentemente precisam de um reforço constante para completar suas tarefas, trabalhe constantemente com os professores para ajudara seu filho.

Os grupos pequenos são melhores, na medida em que seja possível um professor particular o ajudará, podem fazer em 30 minutos ou uma hora com um tutor o que durante um dia inteiro na escola. É importante enfatizar que as crianças que apresentam TAH não são tontas podem ser desorganizadas ou prestar pouca atenção, mas isto é resultado do transtorno, não de sua habilidade de aprender.

Uma vez diagnosticados e tratados, podem ir muito bem na escola. Se o pediatra, os professores e os conselheiros trabalharem juntos e seu filho tiver o apoio da família e dos amigos, melhorará notavelmente.

Transtornos de atenção sem hiperatividade

As crianças com transtornos da atenção sem hiperatividade têm os mesmos sintomas que os de TAH, podem ser fracos, ansiosos, tímidos ou pouco motivados: os problemas na escola são comuns e freqüentemente os taxam como “preguiçosos” ou “atrasados”.

È necessário o mesmo tratamento que para as crianças com TAH, já que respondem bem aos medicamentos estimulantes e podem também melhorar com tratamentos sem medicamentos. Fale com o pediatra caso pense que seu filho tem transtornos da atenção sem hiperatividade.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *