Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Como falar sobre o diabo às crianças?

Como falar sobre o diabo às crianças?

Devemos conversar com as crianças sobre Satanás, sobre os demônios? E se sim, como? Estas são perguntas que surgem frequentemente. Vamos tentar responder. Vamos primeiro perguntar se é útil e importante falar sobre o diabo, como parte do processo de despertar da fé.

Por que falar sobre o diabo com as crianças?

O diabo existe. Não só existe, como também não é um detalhe, um elemento acessório da nossa vida espiritual. Ele é o inimigo que procura nos arruinar e nos afastar de Deus. Ele é aquele que faz todos os esforços para nos manter longe de Deus.

Ao explicar a parábola do semeador, Jesus nos diz: “Os que estão à beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a ouvem, chega Satanás e tira a Palavra semeada que foi semeada neles” (Marcos, 4, 15).

Muitos desenhos animados dentre outros filmes representam Satanás e criaturas do mal. Essas caricaturas não apenas não possibilitam a iluminação pela Fé, em oposição à Satanás, como também fazem com que as crianças acreditem que Satanás é um personagem imaginário, como os heróis que o combatem, como um personagem de contos de fada, sem relação direta com suas vidas cotidianas, com suas vidas como filhos de Deus. Ao crescer, elas colocarão Satanás no mesmo patamar que Batman ou outro personagem de aventura criado pelo homem. E esse é exatamente o mais hábil artifício de Satanás: nos fazer acreditar que ele não existe, que ele é apenas um personagem imaginário ou uma metáfora.

Satanás não é um deus

Como falar sobre o diabo para as crianças? Vamos ser realistas e coerentes. Vamos nos apegar à verdade da palavra de Deus. Não devemos aprender coisas equivocadas na nossa infância. É por isso que temos que nos ater ao que revela o Evangelho, não mais e não menos, sem falsidade. Não se trata de criticar o que foi feito, mas de apoiar, na transmissão da Fé, as verdades que têm fundamento na Sagrada Escritura.

Para falar do diabo para as crianças, não é necessário recorrer a imagens de criaturas bifurcadas e retorcidas ou a descrições mais ou menos fantásticas. Deve ser explicado que Satanás é muito forte e muito poderoso, mas que ele é infinitamente menos do que Deus. “Contra mim, ele não pode fazer nada”, diz Jesus (João 14: 30). O poder de Satanás não tem nada a ver com o de Deus. Só Deus é todo-poderoso. Satanás não é um deus. Vamos deixar isso bem claro na mente das crianças: a diferença entre Deus e Satanás é uma diferença de natureza. Claro que não diremos exatamente isso às crianças porque a palavra “natureza” não faz sentido para elas, mas elas devem entender que Satanás é uma criatura, ele depende de Deus. Ele não pode destruir Deus, Deus poderia aniquilá-lo.

“Se foi Deus quem o criou, porque ele é ruim?”, perguntam as crianças. Quando falamos do mal, de Satanás e do Inferno, devemos insistir sempre na noção de liberdade. Deus nos cria bons, mas livres. Se não fôssemos livres, não poderíamos amar. Se eu não posso dizer “não”, o meu “sim” não tem valor. Satanás escolheu dizer “não” a Deus; o arcanjo São Miguel (por exemplo) escolheu dizer “sim”.

Dê exemplos concretos para as crianças

Sejamos cautelosos com as apresentações (ou representações) do diabo, que o mostram como uma figura hedionda, assustadora e repulsiva. Certamente, ele é assustador e repulsivo na realidade. Mas raramente na aparência. É assim que ele nos engana. Satanás é o Sedutor, o Maligno. Ele se apresenta para nós sob um exterior cheio de charme e sedução. Vamos ilustrar nossos exemplos com detalhes da vida das crianças: “para fazer com que você não faça o dever de casa, ele sugere o prazer que você teria em brincar; para tentá-lo, ele lembra o delicioso sabor dos chocolates que você recebeu no Natal; quando você faz algo errado, ele tenta persuadi-lo de que não é grave, que não importa, que você está certo em buscar, acima de tudo, seu próprio prazer … “.

Mais uma vez, vamos nos esforçar para que não haja confusão na mente das crianças. Deve ser explicado a elas que, quando eles cometem algum mal, o diabo e Deus, cada um a seu modo, um falso, o outro verdadeiro, lhe dizem: “Não é tão sério assim”. Mas o que o diabo quer fazer você acreditar é: “Não se preocupe em fazer o mal, porque não é grave nem importante”. Enquanto Deus diz: “É mal, mas se você quiser, se você me pede para reconhecer o engano do seu ato, eu te perdoo pelo que você fez. Meu amor é sempre mais forte. “

Quando falamos sobre o diabo as crianças, quando nós respondemos a perguntas sobre o assunto, não devemos esquecer de mencionar sempre Aquela que Deus escolheu para esmagar a cabeça de Satanás: a Virgem Maria. Podemos mostrar às crianças, por exemplo, uma medalha milagrosa na qual Maria é representada com uma cobra no chão, sob seus pés. Esta cobra é a representação de Satanás. Em Maria, Satanás é vencido, esmagado, porque Maria nunca o ouviu, nunca o obedeceu. Sempre, desde o primeiro momento de sua existência, Maria permaneceu sem pecado. Vamos rezar e pedir que ela nos guarde das ciladas do Maligno.

Por Christine Ponsard, via Aleteia

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *