Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós

Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós

Os fatos foram registrados primeiramente pelos padres José Alves Vilela, em 1743, e João de Morais e Aguiar, em 1757. Esses registros foram feitos nos livros da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá, à qual pertencia a região onde a imagem foi encontrada. A imagem apareceu em outubro de 1717. E os fatos aconteceram assim:

Dom Pedro de Almeida, governante da capitania de São Paulo e Minas de Ouro, homem que detinha também o título de Conde de Assumar, passava por Guaratinguetá, SP, quando viajava para Vila Rica, MG. A população organizou uma festa para receber o conde de Assumar. Para prepararem a comida, pescadores foram para o rio Paraíba com a difícil missão de conseguirem muitos peixes para a comitiva do governador, mesmo não sendo tempo de pesca. Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves, sentindo o peso de sua responsabilidade, fizeram uma oração pedindo a ajuda da Mãe de Deus. Depois de tentar várias vezes sem sucesso, na altura do Porto Itaguaçu, já desistindo da pescaria, João Alves lançou a rede novamente. Não pegou nenhum peixe, mas apanhou a imagem de Nossa Senhora da Conceição. Porém, faltando a cabeça. Emocionado, lançou de novo a rede e, desta vez, pegou a cabeça que se encaixou perfeitamente na pequena imagem. Só este fato, já foi um grande milagre. Mas, após esse achado, eles apanharam tamanha quantidade de peixes que tiveram que retornar ao porto com medo de a canoa virar. Os pescadores chegaram a Guaratinguetá eufóricos e emocionados com o que presenciaram e toda a população entendeu o fato como intervenção divina. Assim aconteceu o primeiro de muitos milagres pela ação de Nossa Senhora Aparecida.

Devoção a Nossa Senhora Aparecida

A imagem ficou na casa de Filipe Pedroso por 15 anos. Ali, os amigos e vizinhos se encontravam para rezar à Nossa Senhora da Conceição. Graças e mais graças começaram a acontecer e a história se espalhava Brasil afora. Por várias vezes, à noite, ao rezarem junto à imagem, as pessoas viam que as luzes se apagavam e depois acendiam misteriosamente. Então, todo o povo da vizinhança passou a rezar aos pés da imagem. Construíram um pequeno oratório em Itaguaçu, que em pouco tempo já não comportava o grande número de fieis que para lá acorria.

Primeira Capela

O vigário da cidade de Guaratinguetá resolveu construir uma capela no morro dos Coqueiros. As obras terminaram em julho de 1745. O filho de Filipe Pedroso ajudou a construir essa capela. No dia 20 de abril de 1822, o imperador Dom Pedro I, juntamente com uma grande comitiva, fizeram uma visita à capela para homenagear a imagem milagrosa da Senhora de Aparecida, como também é conhecida.

A quantidade de pessoas e romeiros que visitavam a imagem aumentava a cada dia. Por isso, em 1834, deram início às obras da igreja que é conhecida hoje como Basílica Velha. Ela era bem maior que a capela e foi consagrada no dia 8 de dezembro do ano de 1888.

Coroa e Manto de Nossa Senhora Aparecida

Em sua segunda visita à basílica, feita no dia 6 de novembro de 1888, a Princesa Isabel ofereceu à santa uma bela coroa feita de ouro, enfeitada com rubis e diamantes. Era o cumprimento da promessa feita 20 anos antes, na primeira visita feita à imagem.

Missionários Redentoristas

Os Missionários Redentoristas, congregação de origem italiana, chegaram a Aparecida em outubro de 1894. Eram padres, religiosos e irmãos que se dedicavam ao trabalho de atender a todos os romeiros que chegavam para rezar e cumprir suas promessas a Nossa Senhora Aparecida.

Coroação e favores

A imagem foi solenemente coroada – com a coroa que a Princesa Isabel doou – em 8 de setembro de 1904. A imagem passou a ser apresentada, então, com o manto azul anil, bordado com ouro e pedras preciosas. A celebração foi presidida por Dom José Camargo Barros. Estavam presentes o Núncio Apostólico, vários bispos, o senhor Rodrigues Alves, então Presidente da República, e grande multidão. Após este fato, o Santo Padre concedeu ao Santuário de Aparecida outros favores: Ofício e missa própria de Nossa Senhora Aparecida e indulgências para os romeiros em peregrinação ao Santuário.

Via Cruz Terra Santa

Em 29 de abril de 1908, a igreja passou a ser chamada de Basílica Menor e sua sagração se deu no dia 5 de setembro de 1909. Para a solenidade o Papa Pio X enviou, de Roma, relíquias de São Vicente Mártir. No dia 17 de dezembro de 1928, a vila que crescera em volta da Basílica e que pertencia ao município de Guaratinguetá, fica independente, tornando-se o município de Aparecida do Norte. Hoje, a cidade se chama Aparecida.

Nossa Senhora Aparecida, Rainha e padroeira do Brasil

O Papa Pio XI decreta Nossa Senhora da Conceição Aparecida como Rainha e Padroeira do Brasil no dia 16 de julho de 1930. A Lei Federal nº 6.802 (30/06/1980) decreta oficialmente o dia 12 de outubro como feriado nacional, dia de devoção à santa. Esta Lei Federal também reconhece Maria como sendo a protetora do Brasil.

Rosa de Ouro

Em 1967, na festa de 250 anos da devoção, o Papa Paulo VI ofereceu ao Santuário a Rosa de Ouro, gesto repetido pelo Papa Bento XVI, que ofereceu outra Rosa, em 2007, por ocasião de sua Viagem Apostólica ao país, reconhecendo a importância da devoção a Nossa Senhora Aparecida e do Santuário de Aparecida para o Brasil.

Nova Basílica

O fenômeno de Aparecida é impressionante. O número de romeiros cresce, cresce, cresce. Milhares de graças e milagres são relatados ano após ano. Por isso, uma nova basílica, bem maior, começou a ser construída em 1955 para acolher o numeroso fluxo de romeiros vindos de todo o país. Benedito Calixto, o arquiteto responsável pela obra, idealizou um edifício no formato da cruz grega. A igreja tem 168m de largura por 173m de comprimento. Suas naves chegam a 40m de altura e a cúpula central alcança 70m de pé direito. É uma obra impressionante. No dia 4 de julho de 1980, numa celebração eucarística solenemente conduzida pelo Papa João Paulo II, a Basílica de Nossa Senhora Aparecida foi finalmente consagrada. O santuário de Aparecida é a maior basílica do mundo dedicada à Maria Mãe de Deus.

Via Cruz Terra Santa

Nossa Senhora Aparecida foi protagonista de diversos milagres. No ano de 1748, um padre chamado Francisco estava em uma igreja onde era realizada uma missa, hoje em dia esta igreja localiza-se no município de Aparecida. Lá ele escreveu uma pequena história onde contava os muitos milagres realizados por Nossa Senhora Aparecida. Nesta mesma história é contado os sofrimentos e glórias dos peregrinos, estes que caminhavam quilômetros para poder ver a Imagem de Nossa Senhora Aparecida e receber as sua graças. Veremos agora os principais milagres atribuídos a Nossa Senhora Aparecida.

Milagre das Velas

Este famoso milagre ocorreu, pelo que dizem os historiadores, em 1733. O acontecido foi Silvana da Rocha não conseguia acender as velas pois elas acendiam-se sozinhas. Eram duas velas que estavam iluminando a Imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Milagre Caem as Correntes

Este milagre aconteceu, mais ou menos, em 1850 quando um escravo de nome Zacarias estava preso em uma sala com muitas correntes, estas eram muito grossas. Quando ele estava sendo transportado, pede a seu feitor que o deixasse rezar a frente da imagem de Nossa Senhora Aparecida por um momento. Após receber a permissão para rezar ele se ajoelhou a frente de Nossa Senhora Aparecida e rezou muito. Durante esta reza as correntes que o prendiam a carroça se quebraram e se soltaram de seus pulsos tornando o escravo livre.

Milagre Cavaleiro e a marca da ferradura

Este milagre conta a história de um Cavaleiro que passava pela região de Aparecida, SP rumo a Minas Gerais. Ele observou a fé dos romeiros e cristãos que ali estavam e começou a dar risada da cara deles dizendo que toda a fé que eles depositavam em Nossa Senhora Aparecida era uma grande burrice.

Então ele montou em seu cavalo e adentrou a igreja. Logo na entrada da Basílica de Nossa Senhora Aparecida a pata de seu cavalo enroscou em uma pedra, com isso o cavalo e o cavaleiro caíram. Com tudo isso o cavaleiro pediu perdão a todos os romeiros e tornou-se um devoto.

Milagre Menina Cega de Nascença

Um casal de Jaboticabal, São Paulo, tinha uma filha que nasceu cega, esta que ouvia muito bem o que todos falavam. A menina cega tinha uma imensa vontade de visitar a igreja de nossa senhora aparecida, porém era muito difícil de chegar até a igreja.

Com muita fé e sofrimento a mãe e a filha da família Vaz de Jaboticabal chegaram até as famosas escadarias da igreja de Nossa Senhora Aparecida quando surpreendentemente sua filha cega disse “Mãe, esta igreja é muito linda!”. Daquele momento em diante a menina que até então era cega começa a enxergar tudo perfeitamente.

Milagre do menino no rio

Era um dia muito perigoso, a correnteza estava muito forte. Pai e Filho decidiram pescar, até que por um leve descuido o menino caiu dentro do rio. Este menino não sabia sequer nadar, a correnteza o levava cada vez mais rápido para dentro do rio. Seu pai rezou desesperadamente para Nossa Senhora Aparecida, pedindo a ela que o salvasse. De repente o menino parou no rio, como se tivesse enroscado em algo até que a correnteza acalmou. Então o seu pai o salvou.

Milagre do homem e a onça

Este milagre é de um homem que estava chegando a sua casa quando se deparou com o animal. A onça estava quase o atacando e ele estava sem lugar para fugir. O homem rezou desesperadamente para Nossa Senhora Aparecida poupar sua vida, após isso a onça foi embora. Sua vida foi salva por Nossa Senhora Aparecida.

Via Nossa Senhora Aparecida

Certamente você já ouviu falar da história de Nossa Senhora Aparecida e sabe que essa devoção mariana surgiu da descoberta de sua imagem nas águas do Rio Paraíba do Sul, nos arredores de Guaratinguetá – região que se tornou o atual município de Aparecida. Mas essa história de 300 anos é cheia de detalhes: aqui vão 10 coisas que você não sabia sobre a história da devoção à Padroeira do Brasil.

A imagem não foi encontrada em um 12 de outubro

Não se sabe ao certo em que dia a imagem foi encontrada pelos pescadores. O máximo que se sabe é que, provavelmente, a aparição aconteceu durante a segunda quinzena de outubro – período em que o governador da Província de São Paulo e Minas Gerais estaria visitando a região, razão da pesca de Felipe, Domingos e João. Foi baseando-se nessa data que o dia 12 foi escolhido, por aproximação, para celebrar a festa de Nossa Senhora Aparecida – mas isso só aconteceu em 1953. No começo, a sua festa era no dia da Imaculada Conceição, em 8 de dezembro, já que se trata de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Antes da data atual, a festa também já foi celebrada em 7 de setembro, dia da independência do país, devido à proclamação de Aparecida como padroeira do Brasil.

Dom Pedro I visitou Aparecida duas semanas antes de proclamar a independência

Na viagem por São Paulo durante a qual proclamou a independência do Brasil, o então príncipe regente Pedro I passou por Aparecida e visitou a imagem em seu santuário – isso aconteceu em 22 de agosto de 1822. Dom Pedro prometeu a Nossa Senhora Aparecida consagrar o Brasil a ela caso a sua situação política complicada se resolvesse. Seu filho e sucessor, dom Pedro II, também esteve no santuário, em 1843 e 1865.

Aparecida tinha os cabelos curtos

Os cabelos da imagem original eram curtinhos: não chegavam sequer aos ombros. Os cabelos compridos apareceram só em 1978, quando a imagem foi restaurada – seria melhor dizer “reconstruída” – depois de ser quebrada em centenas de fragmentos, por um rapaz com distúrbios psicológicos que a tirou do nicho. O objetivo era que os cabelos maiores ajudassem a fixar melhor a cabeça ao corpo. Nesse restauro, conduzido por Maria Helena Chartuni, do Museu de Arte de São Paulo (MASP), Aparecida foi praticamente refeita – sobretudo a cabeça, que foi a parte mais danificada. É clara a diferença dos traços ao comparar fotos de antes e depois do restauro: além dos cabelos, nota-se que ela era mais rechonchuda e de traços mais suaves.

Aparecida já recebeu presentes de quatro papas

A rosa de ouro é uma honraria conferida pelo papa que data pelo menos do século XI e consiste justamente em uma escultura de uma roseira feita em ouro puro. Comumente ofertada a membros da realeza – como a Princesa Isabel, que ganhou uma de Leão XIII quando assinou a lei áurea –, a entrega da rosa de ouro tem sido reservada desde o Concílio Vaticano II a santuários marianos. Aparecida já ganhou três: uma de Paulo VI, em 1967, outra de Bento XVI, em 2007, e uma de Francisco, em 2017. As rosas podem ser vistas no museu que fica na torre da basílica. Além disso, os mosaicos que adornam a Capela do Santíssimo, na basílica, foram um presente de João Paulo II, em 1980.

Aparecida é a Generalíssima do Exército Brasileiro

Na mesma ocasião em que a rosa de ouro ofertada por Paulo VI foi entregue ao santuário, em 1967, o presidente Artur da Costa e Silva outorgou a Nossa Senhora Aparecida um título único: Generalíssima do Exército Brasileiro – a patente mais alta do exército de nosso país.

São Josemaria Escrivá, o fundador do Opus Dei, já visitou Aparecida

“Com que alegria fui a Aparecida! Com que fé vocês todos rezavam! Eu dizia à Mãe de Deus, que é Mãe de vocês e minha: Minha Mãe, Mãe nossa, eu rezo com toda esta fé dos meus filhos. Te queremos muito, muito. E parecia escutar, no fundo do coração: com obras!” Essa foi uma das frases de São Josemaria Escrivá quando esteve na Basilica Velha, em 28 de maio de 1974, junto daquele que seria seu sucessor, o Beato Álvaro del Portillo. A passagem do santo pelo santuário ocorreu um ano antes da sua morte. Ali, ele rezou o terço junto com fiéis do Opus Dei. A visita é lembrada com uma imagem de São Josemaria, instalada na basílica em 2008.

A imagem era colorida

Manto azul com forro em vermelho vivo, pele clara, túnica esbranquiçada, com detalhes em amarelo. A imagem de Aparecida era assim quando foi produzida, provavelmente no século XVII, pelo Frei Agostinho de Jesus. Supõe-se que a imagem fosse conservada em uma capela de Nossa Senhora do Rosário às margens do Paraíba e que, após uma enchente na igrejinha ou depois de ter a cabeça quebrada, foi descartada nas águas do rio – que apagaram as cores da imagem. As cores do manto vinham de uma ordem de dom João VI, que, ao proclamar a Virgem da Conceição padroeira de Portugal, ordenou que o seu manto fosse sempre colorido de azul e vermelho, as cores do Reino de Portugal.

Os redentoristas que vieram cuidar de Aparecida já tinham experiência na área

Quando o Vaticano pediu a missionários redentoristas alemães que assumissem o cuidado do santuário, em 1894, os padres do convento de Gars, na Alemanha, tinham acabado de transferir para outra congregação a responsabilidade por um outro santuário mariano: o da padroeira da Bavária, Nossa Senhora de Altötting. Como Aparecida, a imagem de Altötting é pequena, rústica e enegrecida. O seu santuário fica a apenas 20 minutos de carro de Marklt am Inn, a cidade natal do papa Bento XVI, que tem muito carinho pela Virgem de Altötting. Ele até mesmo ofereceu o anel que usava como cardeal ao santuário e hoje a peça faz parte do cetro da imagem. Além disso, quando o pontífice alemão esteve em Aparecida, os padres redentoristas fizeram questão de colocar no quarto em que ele ficou hospedado uma reprodução da Virgem de Altötting.

Aparecida está se espalhando pelo mundo

Se você for ao conhecido santuário do Menino Jesus de Praga, na República Checa, vai se deparar com uma imagem da padroeira do Brasil, entronizada lá em 2007. Também é possível encontrar Aparecida em igrejas da Colômbia, da Eslovênia, dos Estados Unidos, de Portugal, da Eslováquia, da Argentina, da França, do Líbano e até mesmo nos Jardins Vaticanos: um monumento dedicado a Nossa Senhora Aparecida foi inaugurado no local pelo papa Francisco, em 2016. O maior responsável por levar Aparecida pelo mundo tem sido o cardeal Raymundo Damasceno Assis, que foi arcebispo de Aparecida entre 2004 e 2016 e presidente da CNBB entre 2011 e 2015.

O Brasil também tem outros padroeiros

Aparecida divide o título de padroeira do Brasil com outras duas figuras. O primeiro santo a ser declarado padroeiro do Brasil foi São Pedro de Alcântara, em 1826, quatro anos depois da independência. Quem o proclamou patrono foi o papa Leão XII, a pedido do imperador Pedro I, que envergava justamente o nome de Pedro de Alcântara. Embora o patronato do franciscano espanhol tenha sido esquecido, nunca foi anulado. Só em 1930 Aparecida foi proclamada também padroeira, por Pio XI. Já em 2015, a CNBB declarou copadroeiro do Brasil o jesuíta São José de Anchieta, um ano depois de sua canonização.

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida. Mãe de meu Deus, Rainha dos Anjos, Advogada dos pecadores, Refúgio e Consolação dos aflitos e atribulados, ó Virgem Santíssima; cheia de poder e bondade, lançai sobre nós um olhar favorável, para que sejamos socorridos em todas as necessidades. Lembrai-vos, clementíssima Mãe Aparecida, que não se consta que de todos os que têm a vós recorrido, invocado vosso santíssimo nome e implorado vossa singular proteção, fosse por vós algum abandonado. Animado com esta confiança a vós recorro: tomo-vos de hoje para sempre por minha Mãe, minha protetora, minha consolação e guia, minha esperança e minha luz na hora da morte. Assim pois, Senhora, livrai-me de tudo o que possa ofender-vos e a vosso Filho meu Redentor e Senhor Jesus Cristo. Virgem bendita, preservai este vosso indigno servo, esta casa e seus habitantes, da peste, fome, guerra, raios, tempestades e outros perigos e males que nos possam flagelar. Soberana Senhora, dignai-vos dirigir-nos em todos os negócios espirituais e temporais; livrai-nos da tentação do demônio, para que, trilhando o caminho da virtude, pelos merecimentos da vossa puríssima Virgindade e do preciosíssimo Sangue de vosso Filho, vos possamos ver, amar e gozar na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *