Receba as novidades exclusivas de nossa rede :)

Cadastre-se

O simbolismo da água no Antigo Testamento

O simbolismo da água no Antigo Testamento

Para se tornar um membro pleno da fé cristã, é preciso primeiro passar pelas águas do Batismo. Não é por acaso que a água se tornou uma “porta de entrada” para o cristianismo, pois Deus estava lentamente preparando seu povo escolhido para essa revelação ao longo da história do mundo.
A água é mencionada no primeiro versículo de Gênesis como “o Espírito de Deus pairava sobre as águas” (Gênesis 1, 1).

Logo após a criação do mundo e a expulsão de Adão e Eva do Paraíso, Noé é apresentado e a água é mencionada novamente, desta vez como um agente purificador para limpar o mundo da maldade. A bênção solene continua com este simbolismo: “Ó Deus, que pelo derramamento do dilúvio prenunciou a regeneração, de modo que, a partir do mistério do mesmo elemento da água, chegaria ao fim o vício e o começo da virtude”.

Depois de algum tempo, a água desempenha um papel fundamental na libertação de Moisés e do povo de Israel. Agora a água se associa à liberdade: “Ó Deus, que fez com que os filhos de Abraão atravessassem o Mar Vermelho, para que o povo escolhido, libertado da escravidão pelo Faraó, prefigurasse o povo batizado … ”

O povo escolhido viaja para entrar na Terra Prometida, mas deve primeiro passar pelo deserto. Moisés ouviu os gritos de seu povo em busca de água e “levantou a mão e feriu o rochedo com a sua vara duas vezes; as águas jorraram em abundância, de sorte que beberam, o povo e os animais” (Números 20,11). A água não apenas purifica e liberta, mas também nutre e dá vida nova.

O Catecismo da Igreja Católica resume:

“Se a água de nascente simboliza a vida, a água do mar é um símbolo da morte. Por isso é que podia prefigurar o mistério da cruz. E por este simbolismo, o Batismo significa a comunhão com a morte de Cristo” (CIC 1220).

Depois de ler o Antigo Testamento, não surpreende que Deus tenha escolhido as águas do Batismo para se tornar parte integrante de sua nova aliança conosco. A profundidade do simbolismo por trás da água é extremamente rica. É por isso que esse elemento natural continua a nos ensinar muito sobre a nossa vida cristã.

Via Aleteia

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *